Maisa Pacheco fala sobre os desafios da quarentena no mercado erótico

Empresária conta como se readequou em meio a pandemia no Brasil

(Créditos: Rogerio Pallatta)

O mercado erótico é um dos que mais crescem no Brasil. Apenas em 2019 ele registrou avanços de até 30% em relação ao ano anterior, atingindo cifras que superam – facilmente – 1 bilhão de reais.

Maisa Pacheco é uma das empresárias que movimentam esse mercado prazeroso. Seu sex-shop, instalado há mais de 20 anos em um dos endereços mais tradicionais de São Paulo, precisou se readequar para dar conta do período de quarentena em São Paulo.

Na última semana, Maisa estampou as páginas de VejaSP ao contar sobre os desafios que a quarentena trouxe para o seu negócio. Atendendo através de horário marcado, negociando através de plataformas digitais (como Instagram e Whatsapp), a empresária avalia o momento excepcional sempre de bom humor. “Ainda mais agora na quarentena, a gente tem de gozar mesmo” diz um trecho da matéria.

Créditos: Rogerio Pallatta

A empresária também anunciou a criação de um curso digital (www.9enoventa.com.br) que ensina suas pepekudas (nome carinhoso que atribuiu às seguidoras) sobre o uso adequado dos acessórios que vende em sua loja. “Muita gente ainda não sabe como inserir o brinquedo, manusear da maneira correta, encontrar um ponto de prazer. Então decidi unir o útil ao agradável e elaborar esse curso” conta. O conteúdo deve ser disponibilizado em uma plataforma já conhecida.

Negócios

O coronavírus trouxe possibilidades para pequenos empresários, investidores e entusiastas do mercado erótico. Conforme já noticiado, Maisa iniciou 2020 com a expansão de seus negócios através de um sistema de franquias e conta que já há interessados em uma “lista de espera” aguardando para disseminar a tradição de sua loja.

“Já existem muitos interessados em participar desse projeto. É tudo muito bem estruturado e eu mesmo oriento quanto aos investimentos, publico alvo, como prospectar potenciais consumidores etc.” Conta.