Em BH, adolescentes de 17 anos comemoram imunização: ‘muito esperada’

4

Após conflitos políticos e polêmicas, a fila da vacinação contra a COVID-19 voltou a andar para os adolescentes sem comorbidades nesta quarta-feira (29/9) em Belo Horizonte. No posto drive-thru do Corpo de Bombeiros, na região Centro-Sul, Mariana Lehman, Júlia Vianna, Carlos Eduardo Rodrigues e Laura Mourão relatam com entusiasmo a sensação de dever cumprido logo depois de receberem a primeira dose da Pfizer.

Conforme autorização da Anvisa, até o momento, somente o imunizante norte-americano pode ser aplicado no grupo. Cerca de 29 mil adolescentes da faixa etária são esperados para garantir a proteção, segundo o Executivo municipal.

“É um momento muito histórico para qualquer pessoa, que vou lembrar para o resto da minha vida. Acho que a vacina é muito importante não só para nosso país, mas para o mundo inteiro. Temos um poder e apoio muito grande por causa do SUS, por isso estou muito grata e feliz”, declarou a estudante de 17 anos, Júlia Vianna.

Júlia Vianna: "É um momento muito histórico para qualquer pessoa" (Foto: Leandro Couri/EM)
Júlia Vianna: “É um momento muito histórico para qualquer pessoa” (Foto: Leandro Couri/EM)

Na Zona Leste da capital, alunos do Colégio Nossa Senhora das Dores com 17 anos receberam a primeira dose da vacina no posto de vacinação montado na Faculdade Estácio. “Com certeza este é um momento muito aguardado por eles e importante para nós como instituição também, pois a escola tem esse papel de zelar, de estar em sintonia e diálogo com os alunos e as famílias bem como de conscientizar sobre a vacinação e incentivar a participação como ação cidadã, pois a vacina salva vidas”, enfatiza a coordenadora pedagógica, Maria Eugênia Moreira Gomes de Freitas.

Estudantes comemoram momento de imunização. (Foto: Cnsd)

Maria Cecília Pádua de Carvalho, de 17 anos, foi uma das que foram vacinadas nesta manhã. A estudante ressalta que a escola deu apoio e organizou os funcionários para acompanhar os alunos até o local mais próximo da escola. “Por estudar no CNSD desde os meus 3 anos, realmente posso considerá-lo minha segunda casa! É uma equipe cheia de amor, atenção, cuidado e preocupada em dar o melhor para os alunos, principalmente os da 3ª série que estão se formando e se despedindo do Colégio. Com a pandemia, ficamos muito tempo longe das salas de aula e perdemos vários momentos da nossa finalização escolar. Com todas essas demandas e preocupações, o desejo de recuperar o tempo perdido, somados à pressão do vestibular, ainda tínhamos o pensamento de ‘Meu Deus, quando vamos vacinar?’, ‘Não chega o dia nunca!’, mas finalmente esse dia chegou!”, conta.

A jovem ainda explica que se vacinar foi um motivo de muito orgulho. “Isso foi extremamente importante para nós pelo sentimento de normalização do cotidiano e de que está tudo voltando para os eixos. A participação do Colégio foi fundamental, pois estávamos ansiosos. Fiquei extremamente emocionada, feliz e grata por essa conquista.”, conclui.

4 Comentários
  1. Cláudia Reis Diz

    Já era hora mesmo. Eles também merecem ser vacinados…

  2. Bruno Philipe Couto Diz

    Sendo muito sincero, JÁ ERA HORA de todos estarem tomando a terceira dose. Esse Brasil não tem jeito!!!

  3. Angela Paulo Freire Diz

    Ainda bem que estão se vacinando com a Pfizer. A única que realmente vale a pena tomar. Pq as “outras”… Aqui em Contagem ainda bem que está bem adiantado.

  4. Ana Clara - Sete Lagoas Diz

    PARABÉNS MENINAS!!!!!!!!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.