Dr. Thiago Marra Esclarece As Dúvidas Mais Freqüente Sobre Prótese De Mama

De acordo com o cirurgião, a dúvida mais freqüente é em relação de onde a prótese é colocada, na frente ou atrás dos músculos. “Os paciente já vem perguntando pra gente, Dr. onde é melhor? Na frente ou atrás dos músculos? Cada caso é diferente e vai depender, tem alguns tipos de paciente que às vezes não tem quase nada de glândula mamária, muito magrinha e com pele fina, nesses casos prefiro colocar atrás do músculo, porque é importante ter uma camada de revestimento à mais para essa prótese, se não fica muito superficial. Já aqueles pacientes que possuem um certa quantidade de glândulas e estão colocando pela primeira vez, elas tem um tecido para cobrir essa prótese, então o resultado fica muito bom na frente do músculo. Tem algumas vantagens em colocar atrás do músculo, é menos dolorido, não vou ter que cortar o músculo, vou estar preservando essa estrutura para um procedimento futuro. O que eu quero deixar claro que não existe melhor ou pior, os dois métodos são bons, são utilizados e vai depender de cada paciente” – afirma o doutor.

Outra dúvida muito freqüente entre os pacientes é a respeito da Dual Plane, e Dr. Thiago explica o procedimento. “A Dual Plane é uma técnica específica, onde a prótese é colocada atrás do músculo, porém em alguns casos o médico abre bastante o músculo, deixando ele bem solto, de modo que fica um pouco da prótese revestida pelo músculo e um pouco sem revestimento. Este método é utilizado para não causar o efeito dupla bolha. De modo geral a gente abre um pouco o músculo, não chega a ser um Dual Plane, mas a gente abre um pouco e coloca a prótese atrás do músculo. É uma característica muito específica que, na prática o melhor e confiar na experiência do seu médico que ele vai saber te indicar o melhor procedimento” – enfatiza Dr. Thiago.

Uma dúvida também muito comum é sobre a flacidez e se é possível bons resultados somente com a colocação de prótese. “Quando o paciente tem flacidez e você coloca um peso, a tendência é a mama cair mais, então na grande maioria das vezes se o paciente tem flacidez o ideal é já tirar a pele e fazer a mastopexia, se não a prótese não vai ficar alta com aquele colo marcado, ela vai ficar caída, vai ficar baixa, mas existem exceções” – diz o cirurgião.

Segundo Dr. Thiago, mais uma dúvida entre os pacientes são se com a prótese é possível juntar os seios e ele explica: “Quando um paciente coloca a prótese, ela é redonda e o bico do seio tem que ficar no meio da prótese. Então quando a gente faz a colocação da prótese naturalmente há um preenchimento desse colo, desse espaço, desse vazio que o paciente tem, na maioria dos casos, porém alguns pacientes têm os seios caracteristicamente mais afastados, a auréola já é um pouco mais aberta, então às vezes quando colocamos a prótese centralizada tem paciente que pode ser que os seios permaneçam um pouco mais afastados que no meio, mas isso é natural, não é todos os pacientes que os seios ficam junto” – conclui o médico.

Finalizando uma sequência das cinco dúvidas mais freqüente de pacientes que queiram realizar um implante de prótese mamária Dr. Thiago finaliza explicando quais são os tipos e os perfis adequados. “O mais freqüente é a prótese redonda com perfil extra alta, texturizada. Em 90% dos casos é esta prótese usada. Existem outros tipos, mas para casos específicos que são identificadas no consultório” – finaliza Dr. Thiago.

Dr. Thiago Marra, é médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, pós-graduado em cirurgia geral pela Santa Casa de Belo Horizonte e pós-graduado em cirurgia plástica pelo Hospital Universitário Ciências Médicas, atualmente ele é membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgia Plástica (CBCP), onde atua em Belo Horizonte, São Paulo e Fortaleza.

Dr. Thiago Marra / Divulgação