CLARISSA KALFELZ mostra como se faz arte com Concreto

2

Clarissa Kalfelz, da @Clarissak.concreto sempre foi uma artista, daquelas que nasceu inquieta e vê de maneira diferente o que para nós é óbvio e corriqueiro. Formada em Engenharia Química pela PUC – RS  foi nessa época que começou a aflorar seus dons para arte. Foi criando e produzindo bijuterias que descobriu um olhar diferente, mesmo após formada ela deixou a Engenharia de lado e se dedicou a criar e fazer o belo. Se aventurou e se reinventou em varias áreas, bijuterias, quadros, peças de decoração entre outras. Inclusive já foi premiada em um Salão de Artes de Curitiba – PR e fez exposições no RS, SC, PR.

CLARISSA KALFELZ
Upcycling peça com caquinhos de cerâmica de reuso. Mostrando que sustentabilidade, design e beleza podem andar juntos

Mesmo realizada, ela resolveu mudar totalmente e foi em busca de algo novo. O estalo veio quando seu então namorado, Rafael, a pediu em casamento. Então com a nossa economia estagnada e os altos custos para se fazer um casamento, surgiu a idéia de utilizar cimento em forma de lembrancinhas para presentear seus convidados.

CLARISSA KALFELZ
Barquinho tipo origami de papel em granilite. Peça icônica de @clarissak.concreto

Um material um tanto quanto inusitado foi confeccionando as lembrancinhas de seu casamento, que ficaram lindas e foram motivos de elogios de todos. Assim ela e Rafael perceberam que esse era um mundo cheio de possibilidades. E poderiam fazer peças sustentáveis, utilizar upcycling com pequenos pedaços de cerâmica de reuso, sobras de lapidações, além de usarem só materias a base de água tanto para pimentar como para impermeabilizar.

Isso os motivou a investir em cursos presenciais e à distância, além de se aventurarem em outras técnicas.

CLARISSA KALFELZ
Pratinho autoral em granilite multi uso

Eles realmente se motivam ao pensar que o cimento, algo tido como bruto e sem graça, utilizado para grandes obras e empreendimentos faraônicos, também pode criar algo delicado, belo e com leveza. Quem conhece as obras de @Clarissak.concreto, realmente tem dificuldade em acreditar que tudo aquilo é cimento! E essa transformação é o que fascina os artistas.

CLARISSA KALFELZ
Apoio hexa. Esse tem mil e uma utilidades

Clarissa Kalfelz. adora criar peças, passar noites em claro pensando na próxima, rabiscá-las no papel, criar a matriz (que ela já fez até com uma batata – que é o que tinha a disposição na hora) e então pensar na viabilidade dela com cimento. Para Clarissa, todo o processo é mágico. E Rafa prontamente ajuda na execução.

CLARISSA KALFELZ
Detalhes do granilite

Sua peça preferida, por mais difícil que seja escolher, é o barquinho de papel, que parece origami e remete à sua infância, quando brincava nos córregos e os barquinhos faziam competição de qual chegaria primeiro. Mas foi um longo trajeto pra sair da dobradura, chegar nos traços, na modelagem pra então chegar na matriz.

CLARISSA KALFELZ
Porta lápis que pode ser um vaso solitário, um porta incenso… O que sua imaginação permitir…

Clarissa e seu marido moram na praia, em Canasvieiras, Florianópolis. E por isso é impossível ela não se inspirar nos barcos que passam em frente ao seu atelier. Aliás, o Rafa, é o braço direito da Cla, e também seu ajudante. As suas peças levam, em média, 10 dias para ficarem prontas. Eles fazem tudo de forma manual e artesanal e muitas vezes, passam por até 5 vezes no lixamento com gramaturas diferentes. Mas não usam maquinários, pois acham importante a energia que eles deixam nas peças, eles querem sentir as peças nas mãos, passar toda a magia e amor para elas.

O maior sonho de Clarissa é poder viver de arte e artesanato. O que em nosso país não é uma tarefa fácil

Sigam nas redes sociais, vocês não vão se arrepender

@Clarissa.Kalfelz
@Clarissak.concreto
@Seborafa

Alex Mídia

2 Comentários
  1. Rafael Corrêa De Mello Diz

    Trabalho maravilhoso, feito com todo amor, Parabéns, sucesso.

  2. Roberta Diz

    Trabalho impecável. Tenho um barquinho. Sou apaixonada por ele

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.