Especialista revela tendências para a internet e as redes sociais em 2020

Mais uma revolução pode estar a caminho este ano de 2020 e mudar tudo que sabemos sobre a internet. Por ora as redes sociais e as plataformas de streaming seguem consolidadas como maiores agregador da internet, gerando tráfego de bilhões de bytes todos os dias, mas o ano que apenas começou e já promete grandes revoluções no campo da tecnologia e das ciências sociais aplicadas à internet.

Antenado, o especialista pós graduado em marketing digital e influenciador Pedro Marinho Neto aponta quais são as principais tendências do mundo virtual e das redes sociais neste ano de 2020. Confira:Inteligência artificial e Chatbots

Melhorar o atendimento ao cliente é a forma mais eficaz de fidelizar o seu público. Por este motivo, cada vez mais empresas vêm apostando em soluções para agilizar o processo, em especial quando há uma alta demanda, e levando em conta que atualmente muitos dos clientes estão online 24 horas através dos smartphones.

O chatbot é uma ferramenta de automação alimentado por algoritmos de inteligência artificial. São programas de computador que conseguem interagir com pessoas, respondendo a dúvidas e buscando junto aos clientes soluções de problemas de forma autônoma.

Já utilizados pelo Facebook e por grandes empresas do setor de TI, agora a tendência é que esta tecnologia esteja mais presente em diversos outros tipos de negócios e soluções digitais em 2020.

Realidade aumentada e realidade virtual

A realidade virtual e a realidade aumentada são duas tecnologias que vêm aparecendo em diversos eletrônicos e tiveram grande adesão em 2019. Para 2020 seguem com forte tendência de crescimento e aplicação.

Apesar do nome parecido, elas possuem características e objetivos bem diferentes: enquanto a realidade virtual leva você para um novo ambiente criado por computador, a realidade aumentada inclui naquilo que está ao seu redor projeções de conteúdos e informações complementares ao mundo real.

Ambas têm sido empregadas em jogos como Pokemón Go no quesito realidade aumentada e nos Oculus Rift, que são hoje a mais imersiva experiência de realidade virtual disponível.O vídeo continuará a ser uma tendência

Plataformas como o YouTube e o Vimeo estão longe de terem o seu fim decretado. O streaming de vídeo na internet continua sendo uma forte tendência em 2020 e a geração de conteúdo para este tipo de plataforma nunca esteve tão aquecida.

Pesquisas realizadas nos EUA revelam que 80% de todo o tráfego da Internet será proveniente do vídeo em 2019 e 54% dos consumidores querem ver mais conteúdo de vídeo de marcas e empresas.Conteúdo efêmero

Conteúdo efêmero é aquele que desaparece após determinado período. Introduzido com sucesso pelo Snapchat e depois lançado pelo Instagram como Stories, adotado posteriormente por todo o ecossistema do Facebook, o video efêmero segue como uma forte tendência em 2020.

User-Generated Content

Conteúdos gerados pelos próprios usuários também seguem firmes como tendência para este ano. Estudos recentes demonstram que os consumidores têm 50% mais confiança em conteúdos gerados por utilizadores (user-generated content) do que por marcas.

TikTok (redes sociais de nicho)

As redes sociais de nicho estão com grande tendência de crescimento em 2020. Um exemplo é a TikTok, também conhecido como Douyin (em chinês 抖音) na China, que é um aplicativo de mídia para criar e compartilhar vídeos curtos e hoje tem mais de 500 milhões de usuários espalhados pelo mundo, se tornando uma das redes sociais mais utilizadas dos últimos anos.

O TikTok é tido como uma nova “fábrica” de memes, e atrativo para os usuários por permitir uma resposta instantânea aos vídeos, além de exibir uma página inicial que revela os trendings do momento, sem o uso de um algoritmo específico para cada usuário como é o Instagram.

Os micro-influenciadores estão em alta

A Geração Z e os Millennials são gerações que cresceram no mundo digital e, portanto, exigem inovação, criatividade, personalização, objetivo da marca e transparência.

São os chamados “micro-influenciadores” – usuários diários de redes sociais com menos de 10 mil seguidores. Atualmente, há dezenas de milhões de influenciadores normais, não profissionais que quando combinados, têm um público suficientemente grande, através do alcance coletivo, para fazer a diferença, através de conversas e tendências, de forma poderosa nas redes sociais.

Em geral, influenciadores com um público menor têm taxas de participação mais altas. Agrupá-los e proporcionar-lhes escala pode ser tremendamente eficaz, mais do que trabalhar apenas com influenciadores com milhões de seguidores.

Saúde mental : #DigitalDetox

No meio de tanta informação e geração de conteúdo online, muitos têm optado por fazer um detox digital, ficando voluntariamente durante um período sem acessar redes sociais. A prática chamada Digital Detox tem ganhado adeptos pelo mundo e tem a ver com a questão de saúde mental.

O vício em redes sociais, identificado pela intensa necessidade de checar sites e aplicativos a todo momento, além de postar fotos, vídeos e outras publicações com o intuito de ganhar curtidas e comentários é algo sério e que atinge nos Estados Unidos e do Reino Unido pelo menos 25% das adolescentes do país, segundo um estudo realizado pela University College London (UCL), que chegou à conclusão de que meninas adolescentes são duas vezes mais propensas a desenvolverem sintomas de depressão em consequência do uso excessivo das mídias sociais.