João Oliveira espera por nova oportunidade no Jungle Fight: “Sou cria da selva”

Mineiro foi uma das atrações do Jungle Fight 96 que aconteceu em Belo Horizonte

Tido como uma das maiores promessas de Minas Gerais tanto na categoria dos galos, quanto dos penas, João Oliveira foi um dos nomes presentes na última edição do Jungle Fight que aconteceu em Belo Horizonte, Minas Gerais. No evento o atleta enfrentou Fernando Lourenço e apesar da grande preparação que teve para o combate, acabando perdendo por decisão unânime, fato que não desanima o lutador que analisou a sua atuação no evento:

— Não sei o que aconteceu exatamente, mas eu não consegui me encontrar na luta. Errei coisas bobas que no treino eu nunca erro, e infelizmente esses erros que eu cometi me custaram a luta. No alto nível detalhes custam caro e infelizmente eu errei mais do que deveria e não sai com a vitória.

Agora somando 7 vitórias em 10 lutas disputadas na carreira, o atleta natural da cidade de Contagem, Minas Gerais ainda mantém um cartel positivo na organização. Atleta da Borracha Team, João vinha de 3 vitórias consecutivas na carreira, além de manter um cartel positivo no Jungle Fight com 3 vitórias em 4 lutas. Questionado sobre a possibilidade de ter uma nova chance na organização, João se mantem confiante apesar do último revés:

— Luta é matemática e meus números são favoráveis, sou cria da selva, estreei no Jungle com 19 anos. O Jungle Fight é minha casa, então como diz aquele ditado “o bom filho a casa torna”. Em breve estarei de volta, podem esperar!

Com apenas 21 anos de idade, o “The Diamond” como é conhecido teve a chance de mostrar o seu potencial pela primeira vez não só para o Brasil, quanto também para o mundo, já que o Jungle Fight 96 foi transmitido com exclusividade pelo DAZN para 5 países da Europa, além do Japão, Canadá e os Estados Unidos. De olho não só em cravar seu nome na história do Jungle, João Oliveira busca além da volta por cima alçar voos ainda mais altos na promissora carreira:

— Tenho varias metas e objetivos, graças a Deus tudo o que eu me proponho a fazer eu consigo mesmo que não seja fácil. Não gosto de pular etapas, sempre um passo após o outro. Meu maior objetivo é chegar no UFC (não só chegar, mas ser o campeão), mas para chegar la tenho consciência que preciso passar por algumas etapas e amadurecer mais um pouco. Continuo na minha caminhada, alcançando meta por meta até chegar no objetivo maior. O que se aprende no caminho importa mais do que a chegada. “Djonga” — finalizou João Oliveira.

Companheiro de treinos de ninguém menos do que Paulo Borrachinha, top contender do UFC, João Oliveira garante que o “o diamante está sendo lapidado” para voltar ainda melhor em suas próximas apresentações no cage seja no Jungle ou em outros eventos de grande porte do cenário nacional.