UMA “PEPEKA” BONITA E CHARMOSA: A ESTÉTICA ÍNTIMA SÓ SERVE PARA ISSO?

Hoje, eu recebo mulheres seguras e decididas que já entram no consultório falando: “doutor, eu quero a minha “pepeka deste jeito”, “daquele jeito”, “assim”, “assado”…
Por outro lado, também atendo mulheres fragilizadas e angustiadas, principalmente após um tratamento de câncer (câncer de mama, útero, ovários ou outros tipos) que ali foram levadas em função dos problemas sexuais gerados, usualmente, pela dor na hora da penetração como efeito colateral da quimioterapia ou radioterapia.
Dois extremos, com um amplo espectro de pacientes entre eles, cujas necessidades se conectam, atualmente, no que estamos convencionando chamar de ginecologia regenerativa, funcional e estética.
A ginecologia regenerativa, funcional e estética, ou cosmetoginecologia, consiste em uma série de procedimentos que reúne desde a tão procurada estética íntima (e aqui não me refiro apenas a cirurgia íntima plástica) quanto o tratamento de disfunções ginecológicas cujas abordagens exigem processos efetivos de regeneração do tecido desvitalizado a fim de devolver a sua funcionalidade. São procedimentos que visam não apenas uma mudança na aparência e restabelecer a função da genitália, mas proporcionar uma ampliação da qualidade de vida favorecendo um conforto psicológico pela elevação da autoestima.

Assim, a busca pela estética íntima, ou estética genital, está associada a um grupo de técnicas que proporciona uma harmonia ao corpo nu e que satisfazem a própria mulher que o Contempla.
A medida que envelhecemos, a nossa pele vai se apresentando mais flácida, ressecada, tornando-se menos elástica, em função da redução do colágeno, dentre elas a genitália feminina. Em função deste processo, muitas senhoras procuram o consultório em busca do que se convencionou denominar rejuvenescimento íntimo.
Rejuvenescer de forma estética a genitália requer uma abordagem múltipla através de uma série de técnicas que produza uma harmonização do conjunto.
Assim, várias pacientes, nos procuram para preenchê-los com ácido hialurônico.
Isso mesmo!!! O ácido hialurônico não é utilizado apenas para preencher as rugas no rosto, mas também com ele tratamos a flacidez dos grandes lábios.
E para dar sustentação fisiológica a estes procedimentos, aumentando a elasticidade e diminuindo a flacidez da pele (que provocam as rugas genitais), nós precisamos promover a estimulação do colágeno. Está estimulação pode ser feita de diversas maneiras: através de bioestimulação, peelings químicos genitais, laser fracionado de CO2, laser de Érbium, radiofrequência, além de outras técnicas. E para arrematar este processo de rejuvenescimento (colocando a cereja no bolo) ainda podemos aplicar técnicas de clareamento genital, associado ao tratamento de cicatrizes (produzidas pelo parto normal ou cesariana) e estrias (que ninguém merece) com o uso de peelings químicos, bioestimulação do colágeno e laser.
Porém, na ginecologia, em particular, quando nos referimos ao rejuvenescimento vaginal, não há como nos determos ao conceito estético. É necessário estendê-lo aos conceitos de funcionalidade e regeneração.
Hoje, com o uso do laser vaginal e da radiofrequência vaginal nós conseguimos tratar determinados problemas sem a necessidade de um procedimento cirúrgico, como acontecia no passado.

Assim, minha querida leitora, quando você entrar num consultório ginecológico, lembre-se que a SUA “pepeka” precisa ser muito bem cuidada, e compreendida, por quem está lhe recebendo. E precisa ser amada por você.

A estética íntima evoluiu e hoje ela assume um caráter mais amplo, entendendo a necessidade de oferecer não apenas a beleza, mas produzir a regeneração e devolver a funcionalidade do órgão, alcançando algo mais intenso e mais profundo… o Belo.

Dr. Wildson Passos
Ginecologista e Obstetra/Medicina Fetal
[email protected]

*Residência médica em Ginecologia e Obstetrícia.
*Residência médica em Medicina Fetal.
*Ultrassonografista.
*Membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).
*Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia (SBLMC).
*Membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética (SBME).
*Membro da Associação Brasileira de Cosmetoginecologia (ABCGIN).
*Membro da Sociedade Brasileira de Ultrassonografia (SBUS).
*Membro da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO).
*Membro da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal (SGOB).
*Consultor Intimate Health
*CRM-DF 12279.