Analista explica como identificar depressão infantil

É certo de que como pais, a última hipótese que vamos pensar é de que nossos filhos tem depressão.


Confundimos com birra, mal humor, querendo chamar muito a atenção ou dormindo demais. Acreditamos em qualquer outra coisa, menos a depressão.


A depressão é uma doença como qualquer outra e, se percebida logo, tem cura.


Devemos leva-los aos profissionais capacitados para diagnosticar e tratar.
Como identificar? Devemos estar atentos o tempo todo, ir à escola e saber se está tudo bem, e perceber qualquer atitude diferente, inclusive se a criança menciona que vai se matar , se fala de morte.


Pensar que tudo o que fazemos se reflete neles, o carinho e a atenção que damos, se houve uma separação, se alguém muito querido faleceu,
afinal, hoje em dia temos de estar vigilantes todo o tempo e considerar a possibilidade da depressão. Nossa intuição agora deve nos alertar para isso também.


Quantos pais se sentem culpados por não terem percebido os sintomas antes do pior. Não se culpem, pois são pequenos sinais, e como eu disse, no início, não pensávamos em depressão. Isso agora é real e frequente, mas não era assim.


Dica: “A alimentação pode ajudar e muito no tratamento da depressão”.
Separamos possíveis sintomas para crianças e adolescentes:


• Tristeza
• Dificuldade de concentração, memória ou raciocínio.
• Pessimismo.
• Agressividade.
• Falta de apetite.
• Tronco arqueado.
• Falta de prazer em executar atividades.
• Isolamento.
• Apatia.
• Insônia ou sono excessivo que não satisfaz
• Desatenção em tudo que tenta fazer.
• Queixas de dores.
• Baixa auto-estima e sentimento de inferioridade
• Ideia de suicídio ou pensamento de tragédias ou morte.
• Cansaço excessivo
• Dificuldade de se afastar da mãe.

Por Andrea Murgel

Foi em A MARIPOSA AZUL que Andrea Murgel encontrou o significado da palavra “renascimento” em suas diversas facetas. No auge da sua satisfação pessoal, profissional e afetiva, em uma armadilha do destino, a bem-sucedida empresária perdeu Eduardo, seu filho de 21 anos, e viu todo o seu mundo desmoronar. Precisou encontrar um caminho para redescobrir o sentido da própria vida e assim conheceu aos poucos suas missões e transformações pessoais. A analista também é autora do livro Cristal.