Dra Monica Mathias de farias alerta sobre sintomas do stresse

SINTOMAS DO ESTRESSE : PODE SER EMOCIONAL E/OU FÍSICO

Seja por excesso de responsabilidade, preocupações ou situações de perda, o estresse potencializa a ação do sistema endócrino e gera mudanças físicas no organismo, levando ao descontrole emocional e até mesmo criando doenças. Uma alternativa para perceber a hora de reduzir o ritmo é observar os sinais e sintomas do estresse no corpo.

O que é estresse e por que o sentimos?

O organismo reage a momentos de tensão ou ameaça com a ativação do estado de alerta, que promove diversas reações bioquímicas com o intuito de salvar a pessoa do possível perigo.

 

Dentre elas, estão a produção e liberação quase imediatas de neurosubstâncias criadas pela glândula suprarrenal, as chamadas catecolaminas, como adrenalina, noradrenalina e cortisol. As duas primeiras dilatam os vasos sanguíneos de órgãos vitais do corpo, a fim de preservá-los perante a situação de risco, e diminuem a circulação dos locais menos importantes. Já o segundo aumenta a glicemia e transforma gordura em energia disponível.

O problema é que em longo prazo a liberação de hormônios aumenta o risco cardíaco e o triglicérides, reduz a produção de insulina e ainda afeta o sistema imunológico, deixando o organismo frágil perante micro-organismos maléficos.

Consequências:
Em longo prazo, o estresse pode causar doenças psiquiátricas, como síndrome do pânico e transtorno de ansiedade, insuficiência das glândulas suprarrenais, problemas de tireoide, desregulação do ciclo menstrual e até diabetes. “Ainda não há um consenso do porquê uma pessoa evolui do estresse para doença, mas as alterações hormonais que ele acarreta provocam repercussões orgânicas e mentais importantes”.

Sintomas de estresse:

Os sintomas de estresse no corpo variam de acordo com o organismo e a personalidade de cada pessoa. De modo não específico, podem surgir:

 

*Tensão excessiva e constante
*Dor muscular
*Agitação
*Impaciência
*Tremor
*Fraqueza
*Fadiga que surge mesmo após atividades simples
*Enjoo
*Irritação
*Palpitação
*Suor frio
*Diarreia
*Dificuldade em dormir
*Falta de ar
*Tontura e vertigem
*Memória fraca
*Boca seca
*Calafrios
*Formigamento
*Queda de cabelo (Alopecia areata) entre outros…        Apesar disso, a presença de sintomas por si só não caracteriza estresse. Cada sinal precisa ser analisado em conjunto com outras manifestações concomitantes, além de todo o contexto da pessoa, histórico de sintomas e circunstâncias.

O estresse ainda pode causar ou agravar doenças de pele, em um fenômeno chamado de psicodermatose, como dermatite de contato alérgica, caspa, psoríase, vitiligo e suor excessivo.

A piora de quadros herpes também surge em decorrência da diminuição da imunidade.

As psicodermatoses referem-se a qualquer doença de pele em que os fatores psicológicos desempenham um papel significativo. Eles podem tanto desencadear as doenças como apenas agravá-las. Existem também os casos de transtornos de personalidade que resultam em doenças de pele auto infligidas.

 

A ansiedade e o estresse vêm aumentando consideravelmente na população”, alerta.

De acordo com ela, os fatores emocionais que mais comumente afetam a pele são ansiedade, depressão, transtorno obsessivo-compulsivo, esquizofrenia e hipocondria.

Veja alguns exemplos:

Psicodermatoses que são desencadeadas pelo estado emocional

É quando as alterações emocionais são a causa direta do surgimento da doença. Dentre as mais comuns estão hiperidrose (sudorese excessiva e constante), urticária (surgimento de vergões vermelhos e inchados na pele), vitiligo (surgimento de manchas brancas na pele, especialmente nas genitais, cotovelos, joelhos, face, pés e mãos), prurido (também conhecido como comichão, é uma irritação de pele que provoca coceira) e alopecia areata (queda de cabelo em placas, geralmente em áreas arredondadas).
Acompanhamento psicológico com psicoterapia semanal, auxiliará a viver o presente, deixar de “perseguir o impossível “, com possíveis  sofrimentos e começar a desenvolver pensamentos positivos, através de técnicas psicoterápicas exercitando pensamentos positivos ,para o desenvolvimento de novos padrões de pensamentos. Dra.Mônica Mathias de Faria Especialista em Doenças Psicossomáticas, como: Câncer  e tumores em geral ( Especialista em Oncologia pelo Hosp Israelita Albert