Brasília lidera busca por relacionamento com interesse financeiro, segundo o Google

Brasília, a capital federal

Universo Sugar

A ferramenta mostrou que a capital do poder é a mais interessada nesse tipo de relacionamento. Além do Distrito Federal tiveram destaque o Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Goiás, Piauí e Paraíba.

O Google Trend, ferramenta de pesquisa da maior empresa de busca do mundo, mostra que o Distrito Federal é a região com mais interessados pelos termos de busca “Sugar Daddy” e “Sugar Baby”. O primeiro descreve a figura de um homem rico, mais velho, com dinheiro e que custeia o estilo de vida de luxo de sua parceira. Já o segundo refere-se à mulher jovem a ser bancada.

Os dados foram divulgados pela plataforma brasileira Universo Sugar. O site promove união entre babies e daddies. Criada há apenas um ano, a plataforma reúne mais de 150 mil usuários cadastrados do Brasil e do exterior.  A plataforma  avaliou as buscas dos últimos 12 meses.

A pesquisa trouxe um ranking das cinco sub-regiões que mais buscam por Sugar Daddy e Sugar Baby. A análise apresentou a Capital Federal como a mais interessada para os dois termos: Sugar Daddy (papai de açúcar) – o homem, mais velho e, por isso, papai, se dispõe a “bancar” mulher mais jovem. E Sugar Baby (bebê de açúcar) – mulher mais jovem que gosta de ser mimada, ganhar presentes, viajar, comer em bons restaurantes, sair para lugares chiques.

No que se refere ao resultado de buscas pela palavra que categoriza o homem (Sugar Daddy), depois de Brasília a ferramenta aponta os Estados do Piauí, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraíba.

 

Para cada estado do Brasil, em geral, o Google apresenta um “volume de pesquisa”.  A ferramenta mostra o interesse e a evolução da pesquisa de um termo ao longo do tempo. Os resultados obtidos não revelam a quantidade de acessos, mas sim um índice entre 0 a 100. Em que 100 significa que é o local com a maior popularidade; 50 indica um local que tem metade da popularidade; e 0 aponta um lugar em que a palavra tem menos de 1% de buscas.

Já quem busca por “Sugar Baby” seguido do Distrito Federal aparece Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e por último Goiás.

 

O estilo de racionamento sugar é baseado em status, dinheiro e prazer. A regra proposta é clara: por parte dos homens a companhia das mulheres mais jovens. Já as garotas ganham mimos, apoio financeiro e viagens de luxo.

Frequentada por ricaços e autoridades políticas, Brasília faz parte do mapa do luxo brasileiro. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o maior rendimento per capita de 2017 foi observado no Distrito Federal (R$ 2.548) – mais que o dobro da média nacional. O rendimento domiciliar per capita é o resultado da soma dos rendimentos recebidos por cada morador, dividido pelo total de moradores do domicílio.

O site Universo Sugar divulgou ainda os cinco estados com maior número de usuários cadastrados. São Paulo lidera o ranking com 19.412 usuários; Rio de Janeiro aparece em segundo lugar com 18.271, seguido por Minas Gerais, com 16.459. Na Região Centro-Oeste, o líder é o Distrito Federal, com 14.971. Já o Paraná surge na quinta posição com 12.774.

Nos últimos meses, Brasília que ocupava oitava posição do ranking dos estados com maior número de usuários cadastrados na plataforma de relacionamento sugar, passou a ocupar a quinta colocação, ultrapassando os Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

Serviço:

Universo Sugar – www.universosugar.com

(Assessoria: Anne Viana/AaZ Press)

 

 

Rede Social faz Doodle comemorativo e destaca “Mulher pode tudo, inclusive ser Sugar Baby! “

O Dia Internacional da Mulher é celebrado nesta quinta-feira (8). Em homenagem a elas, a polêmica Rede Social que faz a ponte entre jovens mulheres a senhores bem-sucedidos, chamou a atenção ao exibir Doodle com frase: Mulher pode tudo, inclusive ser Sugar Baby!

Sugar Baby é um termo usado no estilo de relacionamento sugar. Na união, cabe aos homens serem os principais provedores, e as mulheres desfrutam de um estilo de vida de luxo e têm seus projetos pessoais e profissionais totalmente patrocinados por eles.

De acordo com a assessoria de imprensa da plataforma brasileira Universo Sugar, a proposta da ação é mostrar que a mulher é livre para fazer suas escolhas, inclusive do seu estilo de vida. E ressalta ainda, que não compactua com a valorização seletiva dos direitos e liberdade de escolha da classe feminina.

A plataforma de relacionamento Sugar conta com mais de 120 mil membros com presença de usuários em todo território nacional. E o público feminino é quatro vezes superior em relação aos homens.

*Doodle é uma palavra inglesa que se refere a rabiscos, esboços e desenhos produzidos enquanto uma pessoa está distraída. No Brasil, o termo doodle ficou conhecido quando a empresa Google fez sucesso com seus “Google Doodle”.

Mulheres que buscam parceiros com dinheiro: retrocesso ou condição humana? Especialistas respondem

Mulheres que têm sede de poder. Assim são conhecidas as jovens que escolhem seus pretendentes pelos recursos financeiros. As Sugar Babies  encontram em sites especializados, a oportunidade de conhecer homens maduros e endinheirados dispostos a gastar e propor um estilo de vida de luxo para elas. Entretanto, ao se assumirem ambiciosas, muitos à sua volta as enxergam como vulgares, interesseiras e gananciosas.

Argumentos à parte, o fato é que o assunto levanta discussões acaloradas. Ainda assim, ganhou um respaldo cientifico com a psicologia evolucionista, que pode justificar o modelo de comportamento de relações como estas. “Todos nós somos o que somos hoje, em função de uma evolução biopsicossocial”, de acordo com o psicólogo Marcelo Estrázulas.

“A mulher não age tão diferente da fêmea na natureza. Das várias abordagens dos machos que estão à disposição, ela seleciona o melhor. Antigamente, as mulheres escolhiam os homens mais fortes fisicamente. Quem tinha a maior caixa torácica, tinha maior capacidade pulmonar e percorria longas distancias. Assim, conseguia mais fartura de alimentos”, explica o psicólogo.

Estrázulas alega que os seres humanos agem como os seus ancestrais pré-históricos em diversas situações, inclusive na hora de escolher o parceiro. O profissional afirma que da mesma forma que os homens estão biologicamente programados para olharem mulheres atraentes. Elas também vão se sentir atraídas por homens com mais recursos financeiros.

O que seria a caixa torácica larga hoje?

O psicólogo explica que se a milhares de anos adquirir recursos para sobrevivência, caçar e garantir proteção aos descendentes, tornava os homens “bons partidos” aos olhos femininos, hoje, o dinheiro assume um papel central na sociedade como um fator de segurança e sobrevivência.  “A coisa não mudou muito. Esse instinto de escolher esse perfil de homem continua o mesmo. Porém, hoje nós não somos mais biológicos! Somos biopsicossociais” diz.

 

Um jogo de poder nada saudável

A psicanalista e Coach, Patrícia Villar, especialista em relacionamentos, define as relações sugar como um jogo de poder nada saudável. Para ela, esse tipo de união é prejudicial para as duas partes: “para sugar babies, envolve o fato de que seu corpo e sua aparência são a única parte relevante de si nesse tipo de relação. O que, dependendo da pessoa, pode resultar em baixa autoestima ou justamente o oposto. Um ego inflado e uma noção distorcida de si, do próprio valor e beleza. Quanto aos sugar daddies, envolve a vulgarização de relações e sentimentos, reduzindo-os estritamente ao prazer”, avalia a psicanalista.

A porta-voz do aplicativo Universo Sugar, Anne Viana, explica que o estilo de relacionamento é controverso. Mas lembra que o interesse parte dos dois lados, e ressalta: “A mesma sociedade que rotula uma mulher jovem, ao lado de um homem maduro e rico, também deveria rotular o homem por escolher a mulher jovem atraente e não uma sexagenária. Sistema de valores relativista não se sustentam” argumenta.

Apesar de toda a polêmica, a plataforma Universo Sugar já conta com mais de 120 mil membros com presença de usuários em todo território nacional. E o público feminino é quatro vezes superior em relação aos homens

Jennifer Lobo fala sobre relacionamentos via web e a ascensão dessa prática

Lucrativo, unir casais na internet é algo atual e direcionado, como no caso do Meu Patrocínio

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística) indicou um aumento de 2.8% nos casamentos de 2015 para o ano anterior, contabilizando 1.137.321 uniões nas entidades civis. E essa busca pelo par ideal está cada vez mais presente na internet, onde muitos utilizam das ferramentas cibernéticas para achar a pessoa de acordo com seus sonhos.

Seja por conta da rotina corrida, pela falta de interesse em ir a lugares para conhecer pessoas ou simplesmente pela praticidade de selecionar com quem conversar, os aplicativos e sites de relacionamento vêm ganhando cada vez mais espaço.

Jennifer Lobo, CEO do Meu Patrocínio, primeiro e maior site do segmento sugar no Brasil, conta que trouxe esse conceito para o País porque viu um nicho promissor. Então, completando dois anos, a plataforma já conta com mais de 300 mil inscritos.

O mundo virtual permite facilidade na seleção da pessoa com quem se relacionar

Endinheirados, bem-sucedidos e em busca de uma relação transparente, os Sugar Daddies e as Sugar Mommies, nomes dados aos adeptos do mundo sugar, buscam Sugar Babies e Sugar Boys compatíveis ao seu jeito de ser, seja fisicamente e em todos os outros quesitos.

E é exatamente esse afunilamento que faz com que os usuários paguem mensalidades de R$ 199 ou R$ 1000, mostrando que além de ser lucrativo, há sites para todos os desejos.

Mesmo com aplicativos grátis ou redes sociais com grupos focados em namoro, os diferenciais ainda fazem com que usuários paguem pelos serviços. No caso dos sugar, a CEO explica que é uma relação como outra qualquer, mas com definições do que cada um quer, unindo objetividade, honestidade e o significado do que um espera do outro.

“O daddy ou a mommy podem ajudar o seu parceiro, mesmo que financeiramente – e não apenas – para que o outro possa obter auxílio no seu crescimento pessoal, mas tudo dentro de um relacionamento com companheirismo, afinidade e amor”, explica.

Jennifer Lobo, do Meu Patrocínio

Conversamos com a matchmaker e CEO do Meu Patrocínio, Jennifer Lobo, para sabermos mais sobre o universo sugar e o retorno financeiro que esse tipo de plataforma pode gerar.

Jornal Notícias do Brasil – Por que em meio a tantos aplicativos e redes sociais com grupos voltados a encontros,  ainda há quem pague para fazer parte de um site de relacionamentos?

Jennifer Lobo – Porque as pessoas procuram qualidade no atendimento e, principalmente, um grupo mais seleto para poder se relacionar.

No Meu Patrocínio estão as pessoas mais influentes e poderosas do Brasil, procurando companheiros com muita beleza e ambição.  Quem está na nossa rede demonstra a real intenção em estar em um relacionamento.

Não é à toa que falamos que no nosso site o relacionamento sai do virtual para o real. Nos aplicativos gratuitos muita gente se inscreve apenas para matar a curiosidade, sem intenção nenhuma.

Nós possuímos diferenciais que abrangem desde a qualidade no atendimento até o perfil dos usuários. Nossos clientes formam um grupo seleto, composto por  pessoas influentes, com alto poder aquisitivo, em busca de parceiros que, além de beleza, tenham ambição e objetivos claros.

Quem está na nossa rede demonstra a real intenção de ter um relacionamento que ultrapasse as barreiras do virtual e que, com muita transparência, se torne realidade. Nos aplicativos gratuitos há muita curiosidade e falta de comprometimento.

JNB – Quais estilos de pessoas pagam por esse serviço?

JL – No Meu Patrocínio quem paga são os Sugar Daddies e as Sugar Mommies. Os daddies são homens bem-sucedidos, com uma situação financeira muito boa e que procuram uma companheira com beleza e ambição.

Eles têm uma média de idade de 42 anos, que ganham aproximadamente R$78 mil mensalmente, com 42% deles com ao menos uma pós-graduação.

As Sugar Mommies  são mulheres independentes, maduras, que obtiveram sucesso profissional e estão à procura de um Sugar Baby para que possam ter um relacionamento com leveza e alegria.

Elas são mulheres com idade de 43 anos, a maioria graduada, 5%  com pós-graduação, possuindo uma faixa salarial em torno de R$ 50 mil mensais e estão dispostas a investir uma média de R$ 2.500 por mês com os seus “boys”.

JNB – E o que elas esperam encontrar e ter nesses sites?

JL – Esperam encontrar um parceiro para ter uma relação transparente e honesta, com as expectativas em um relacionamento alinhadas desde o início.

Desejam uma relação virtuosa, madura e clara. Os objetivos e expectativas são alinhados desde o início.

JNB – No caso do empresário, o que ele deve fazer para produzir e promover um site de relacionamentos que obtenha sucesso?

JL – Trabalhar muito, se dedicar ao negócio e ter a garantia que está entregando o melhor serviço da área de relacionamentos.

Diria que as bases são muita determinação, clareza nos objetivos, dedicação e trabalho. É necessário ter o foco no cliente, agregando valores ao serviço prestado, sem descuidar da qualidade.

JNB – Como buscar oferecer sempre mais e se reciclar diante da concorrência, para não cair no ostracismo e perder mercado?

JL – Temos uma equipe que trabalha todos os dias da semana sempre focada nas inovações de tecnologia da informação, atendimento ao cliente e comunicação.

Estamos buscando e criando novas formas para melhorar nossos serviços, aprimorando e surpreendendo ainda mais os nossos clientes.

JNB – Por fim, o que você considera essencial para que um site de relacionamento, no caso sugar, ofereça aos clientes, além do site em si, para que atraia e fidelize o usuário (como presentes, festas etc.).

JL – Pensamos que o essencial é o serviço de apoio que possuímos. Estamos sempre buscando parcerias com lojas e eventos para trazermos algo a mais para os nossos clientes.

Sempre priorizando os melhores locais e serviços de qualidade, uma vez que o nosso público possui um alto nível social e buscamos atendê-los nos moldes desses parâmetros.

Serviço:

Meu Patrocínio – www.meupatrocinio.com