Saúde bucal: 10 mitos e verdades

Por: Dr. Sued Moreno Jarude

Cartão de visita em qualquer lugar, nosso sorriso merece sempre uma atenção especial. Apesar de vivermos na era da internet, ainda persistem algumas dúvidas simples sobre a higiene bucal. Desvende-as de uma vez por todas!

Cartão de visita em qualquer lugar, nosso sorriso merece sempre uma atenção especial. Apesar de vivermos na era da internet, ainda persistem algumas dúvidas simples sobre a higiene bucal. Desvende-as de uma vez por todas!

Devemos sempre trocar as escovas de dente.
VERDADE. O recomendado é trocar a escova a cada três meses. Algumas escovas vêm com uma tarja na lateral das cerdas, que indicam a necessidade de trocá-las. Conforme as cerdas vão envelhecendo, tendemos a usar mais força da escovação, o que pode acabar prejudicando os dentes.

Escovar os dentes com mais força limpa mais.
MITO. Não é a força colocada durante a escovação que promove a higiene correta. Ao usarmos força demais, acabamos prejudicando gengiva, levando a um processo de retração gengival, e também causar danos ao esmalte dental (abrasão).

É melhor escorvamos os dentes imediatamente após as refeições.
MITO. O ideal é esperarmos no mínimo 30 minutos. Durante a imersão alimentar, o ph bucal acaba diminuindo, deixando o meio ácido. Esse tempo é necessário para que a saliva atue sobre as estruturas bucais, neutralizando o ph.

Uma boa escovação precisa ser demorada.
VERDADE. Uma boa escovação dura cerca de 10 minutos, sempre na frente do espelho e não da televisão.  É melhor escovarmos três escovações por dia, mas de forma correta, do que cinco ou seis de dois minutos cada. Qualidade é melhor do que quantidade.

Higienização noturna é mais importante.
VERDADE. Durante o sono, o fluxo salivar, que ajuda a proteger os dentes e hidratar o tecido oral, é menor. Por isso, a higienização antes de dormir muito importante para que as estruturas bucais não fiquem vulneráveis.

Não devemos higienizar as dentaduras.
MITO.  As dentaduras, totais ou parciais, precisam ser higienizadas. Existem produtos no mercado que fazem esse processo, além de escovas que são próprias para a escovação das próteses. A higiene dessas peças é importante para evitar a formação de fungos.

Os enxaguantes bucais substituem a escovão e uso de fio dental.
MITO. A escovação e uso do fio dental ainda são considerados os métodos mais eficazes no controle da higiene bucal. Os enxaguantes são apenas coadjuvantes nesse processo. Vale lembrar que existem diferentes compostos de enxaguantes bucais indicados para cada alteração bucal, sempre usados sob orientação de um profissional.

É preciso usar bastante creme dental.
MITO. O personagem principal da escovação é a escova, não o creme dental. A quantidade recomenda é do tamanho de uma ervilha colocada no meio das cerdas, evitando que seja engolida facilmente.

Excesso de escovação prejudica os dentes.
VERDADE. A frequência exagerada de escovação provoca desgastes no esmalte e a retração gengival (“encolhimento da gengiva”). Existem várias técnicas de escovação indicadas para cada necessidade.

Devemos ir ao dentista a cada seis meses.
MITO. Essa é uma orientação dada àqueles que não têm maiores alterações bucais, ou seja, que não precisam de uma atenção mais próxima. Contudo, existem pessoas com alterações moderadas ou severas e, por isso precisam de um atendimento mais próximo. Assim, as visitas ao dentista podem ser feitas a cada três meses.

Deu pra perceber que saúde bucal é coisa séria, né? Não dê bobeira e marque hoje mesmo uma consulta com seu dentista.

Dr. Sued Moreno Jarude

 

Especialista em DTM e Dor Orofacial

Atuação em Odontologia Estética.

 

instagram.com/sued_jarude

 

Assessoria: Michelasi Produçōes